Hipoderme da terra – Projection, 2024

9.420,00

Parte do conjunto de obras “Hipoderme da Terra”, apresentada em exibição individual no Coletivo Amarelo.

Caixa de metal de 195 x 162.5 x 97.5 cm, com máquina de produção de vapor, projetor, sensores e controlador Raspberry. Projeção em fumo de imagem do Pico do Cauê, montanha pulverizada pelo extrativismo.

1 em stock

Peça de arte autêntica

Suporte a artistas emergentes

7 dias para devolução

O tríptico Hipoderme da Terra (2024) tem como ponto de partida a história da mineração no interior do Brasil e, particularmente, a violência contida no esgotamento do Pico do Cauê, em Itabira-MG, transformado em cratera. Carlos Drummond de Andrade, popularmente conhecido como o "poeta da pedra", fala do Pico do Cauê como uma "montanha pulverizada". Por seu lado, Hipoderme da Terra é um tríptico de imagem, som e texto distorcidos.

Esta obra consiste em uma longa caixa metálica sobre um plinto, que se assemelha a um vagão mineiro ou a uma velha câmara fotográfica, aonde encontramos uma fotografia do Pico do Cauê projetada sobre fumo. Técnica inspirada no trabalho da artista Rosangela Rennó, que utiliza a fumaça para borrar suas imagens, a projeção aponta para a volatilidade da memória, aqui transposta para o contexto da mineração em Itabira, no estado de Minas Gerais, Brasil. Além disso, a fumaça remete à Revolução Industrial e ao aumento da emissão de CO2 na atmosfera. Em todas as obras de Loyola, a ausência de humanos tem uma dupla função: ao mesmo tempo em que coloca em primeiro plano o tempo profundo da geologia, abre um imaginário no qual o impacto da humanidade sobre a Terra se tornou fossilizado. Neste cenário, as questões que permanecem giram em torno da nossa ancestralidade futura. Como é que a nossa relação com a Terra influencia a nossa linguagem e, por sua vez, a nossa subjetividade? E como é que esta realidade afeta o que deixamos para trás? Para quem?

Informação adicional

Dimensões (C x L x A) 195 × 162,5 × 97,5 cm
Tipo

Pigmento natural em papel PC Velvet (celulose e algodão).

Avaliações

Ainda não existem avaliações.

Seja o primeiro a avaliar “Hipoderme da terra – Projection, 2024”

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Produtos Relacionados

Estas obras de arte talvez também possam interessar

Blogue

Affordable Art Fair Brussels

6 de Fevereiro de 2024 por Stephanie Wruck
Coletivo Amarelo na Affordable Art Fair em Brussels Após participar das edições da Affordable Art Fair em Amsterdam e Hamburgo [...]

Visita Guiada no Museu Geológico de Lisboa

31 de Janeiro de 2024 por Stephanie Wruck
Sexta-feira, dia 2 de fevereiro às 15h, visita guiada + projeção do filme “Ongoing Cave” de Julián D’Angiolillo. É uma [...]

A PELE DA TERRA

11 de Janeiro de 2024 por Stephanie Wruck
MARQUE ESTA DATA: Abertura dia 20 de janeiro, das 18h ás 21h. A PELE DA TERRA marca a primeira exposição [...]

SIGNS POINT TO YES

13 de Dezembro de 2023 por Stephanie Wruck
“A arte é uma magia que faz as horas derreterem e até os dias se dissolverem em segundos, não é [...]

SIGNS POINT TO YES

29 de Novembro de 2023 por Stephanie Wruck
SIGNS POINT TO YES é uma exposição que encerra o primeiro ano de existência do Coletivo Amarelo, reunindo as obras [...]

Affordable Art Fair Hamburg

7 de Novembro de 2023 por Stephanie Wruck
Coletivo Amarelo na Affordable Art Fair em Hamburg Após participar na edição da Affordable Art Fair em Amsterdam, o Coletivo [...]

Affordable Art Fair Amsterdam

24 de Outubro de 2023 por Stephanie Wruck
Coletivo Amarelo na Affordable Art Fair em Amsterdam Em novembro, o Coletivo Amarelo estará presente na Affordable Art Fair em [...]

Chico Diaz e o Real Imaginário: um encontro entre paisagens oníricas e a física das emoções

9 de Outubro de 2023 por Stephanie Wruck
Dentro das cores vibrantes e expressões contundentes, adentramos em um universo onde o imaginado se funde com o concreto, onde [...]