SOBRE RITUAL: Mona Hatoum

As qualidades ritualísticas em torno da arte performática são frequentemente traduzidas por meio de atos com os quais o artista envolve o público, geralmente usando seus próprios corpos como ferramenta. Como forma de expressar uma ideia, a performance pode ser entendida como um ritual por si só: ele sinaliza que algo significativo, porém impermanente, está prestes a ocorrer.

Como parte da exposição "Roadworks" de 1985, a artista Mona Hatoum caminhou pelas ruas de Brixton descalça por uma hora com botas Doc Martens presas aos tornozelos. A performance foi feita em um contexto de turbulência política e social da época em Londres, quando as comunidades afro-caribenhas sofriam com altos índices de criminalidade, desemprego e más condições de vida. A performance resultou na foto acima, denominada “Performance Act”, onde os pés descalços da artista contra a textura áspera do asfalto e as reluzentes botas de couro nos convidam a participar de uma experiência de peregrinação ritualística. Mona marcha por suas crenças, apesar da opressão que a persegue.