Sobre Biologia: Luiza Cardenuto

Madeiras achadas na rua, intervenções urbanas, desenhos detalhados de plantas e espécies em extinção: essas são algumas das características que definem o trabalho da artista brasileira Luiza Cardenuto. Ela produz gravuras de grande escala, instalações feitas com materiais reutilizados e esculturas interativas, sempre com um objetivo em foco: ressaltar os contrastes que existem entre a natureza e ambientes urbanos. As gravuras são feitas a partir de referências fotográficas onde a artista é capaz de criar pequenos ecossistemas de biodiversidade que são transferidos para os muros da cidade.

Para Luiza, os espaços urbanos e a natureza são vistos como duas partes de um mesmo organismo vivo: o meio ambiente. Seu trabalho nos ajuda a questionar o papel humano dentro da natureza: como nós interagimos com a natureza que cerca nossos bairros, ruas e moradias?

Muito se é discutido sobre o impacto humano na natureza, porém o trabalho de Luiza oferece um questionamento oposto: como a natureza nos impacta? Quais são os benefícios em aproximar um ao outro?

Seus desenhos, distribuídos por selvas de concreto como Filadélfia, Nova York, Pittsburgh entre outras, fortalecem a idéia de que a cidade é meramente um reflexo da harmonia do mundo natural. Para que possamos discutir pautas sobre a sustentabilidade dentro de práticas artísticas, é necessário primeiro entender o nosso próprio posicionamento dentro do mundo natural. Os painéis de Luiza atuam como um espelho, refletindo as semelhanças que existem entre todos os seres vivos que compartilham o planeta Terra, construindo assim uma narrativa rica em ensinamentos sensíveis sobre a natureza.