OFICINA DE FANZINE

FEIRA DA LADRA E A ECOLOGIA DOS ESPAÇOS PÚBLICOS NO TECIDO URBANO A oficina que aconteceu em colaboração com a Casa do Capitão em Lisboa, foi dividida em duas partes, a primeira oferecendo o contexto histórico das fanzines, como elas surgiram, suas utilidades e a relação entre fanzines e feiras de rua. A segunda parte sendo a produção coletiva da fanzine. Cada participante ficou com um exemplar. O objetivo era criar de maneira coletiva um fanzine sobre a feira da ladra. Cada participante trouxe a sua própria leitura do tema, explorando a sua relação individual com uma das feiras mais antigas da Europa. Partindo da idéia da Feira da Ladra como lugar antropológico, nossa oficina reuniu diversos entendimentos sobre lugares onde convivências se colidem e trocas sociais e econômicas dividem um mesmo território compartilhado. A natureza relacional das feiras de rua é responsável por dar espaço a conexões humanas profundas, independente de raça, religião, idade ou credo. São locais onde construções simbólicas estão em constante erupção e o ato de permanecer por tanto tempo no mesmo lugar, se transforma em resistência política e social.

Até a próxima!