OSIAS ANDRÉ

[EN]

DISPLACEMENT

Osias André, from Mozambique, immigrated to Portugal four years ago where he won three scholarships from the independent art school Ar.Co, an institution dedicated to experimentation and artistic training. Osias started painting at the age of eight and began his artistic career through graphic illustration, producing a collection of books. For him, painting requires a slower and more indirect digestion.The paintings shown here are linked to his African origins, while reflecting Osias’s search for identity conducted through a traditional European atelier practice. The result is striking paintings, in which colors and shapes exist in balance, appropriating Western pictorial practices in order to bring to light elements arising from African cultural resistance in the face of centuries of Eurocentrist hegemony. Osias works and lives in Lisbon.

*The displacement of classical pictoric euro centered compositions to new surroundings;

*Manipulation of colors and forms;

*Strengthening its own identity by distancing oneself from home;

*Equilibrium between African diaspora’s sensibilities and European concern of theory and reason.

 

*

 

[PT]

DESLOCAMENTO

Osias André, de Moçambique, imigrou para Portugal há 4 anos onde ganhou 3 bolsas da escola de arte independente Ar.Co, instituição dedicada à experimentação e formação artística. Osias começou a pintar aos 8 anos e iniciou a sua carreira artística através da ilustração gráfica, produzindo uma coleção de livros. Para ele a pintura exige uma digestão mais lenta e indireta. Nos trabalhos em pintura aqui exibidos, nota-se uma busca identitária, atrelada às suas origens africanas, através de uma prática tradicional européia de ateliê. O resultado são pinturas impactantes, em que cores, formas e conteúdos atuam em equilíbrio, apropriando-se da prática pictórica ocidental para trazer à tona elementos decorrentes da resistência cultural Africana perante aos séculos da hegemonia eurocentrista. Osias vive e trabalha em Lisboa.

*O deslocamento de composições pictóricas clássicas centradas no euro para novos ambientes;

*Manipulação de cores e formas;

*Fortalecimento de sua própria identidade, distanciando-se de casa;

*Equilíbrio entre as sensibilidades da diáspora Africana e a preocupação européia com a teoria e a razão.